Estigmas em torno da maconha medicinal; prejuízos para o tratamento

1
213

Pesquisa publicada recentemente no Journal of Psychoactive Drugs (Routledge) examina as experiências de americanos para os quais se prescreveu a maconha medicinal. Os resultados indicam que os estigmas ainda associados a ela podem contribuir para um tratamento ineficiente.

A maconha medicinal – um tema controverso nos últimos anos – agora é legal em 23 estados norte-americanos. Na Califórnia, local onde o estudo foi desenvolvido, seu uso está legalizado desde 1996. Tem-se observado cientificamente como uma forma viável de tratamento para complicações médicas como enxaquecas, depressão, dor crônica, asma e efeitos advindos da quimioterapia e da radioterapia.

Sobre o estudo

Após entrevistar 18 participantes, uma equipe de pesquisadores norte-americanos foi capaz de entender melhor como os pacientes lidam com este estigma e como isso afeta os cuidados de saúde, bem como a vida diária. Quase todos os pacientes mencionaram serem rotulados como drogados que procuram se beneficiar da lei. Muitos pacientes se sentiram desconfortáveis em ​​discutir o assunto com a equipe de saúde. Uma regra: todos os pacientes esconderam o uso da maconha medicinal da família e de amigos íntimos.

“É triste… realmente é”, disse um paciente. “A maioria das pessoas parece estar mal informada, e isso inclui os legisladores. Eles vêem isso de forma extremada. A maconha é ruim. As drogas são más. No entanto, eles não enxergam problema algum em beber seus uísques ou fumar seus charutos. Eles não têm ideia de como a cannabis pode ser benéfica”, disse um participante.

“Este estudo reforça a necessidade de mais investigação, bem como da atualização em relação à formação e educação de médicos e outros profissionais de saúde, a fim de expandir a base de conhecimento e habilidades no que se refere ao tratamento com a maconha medicinal”, concluíram os pesquisadores. “À medida que ela se torna uma opção viável de tratamento para mais e mais pacientes, estudos como este serão fundamentais para garantir que a maconha medicinal cumpra o seu potencial terapêutico.”

Via Science Daily.

1 COMENTÁRIO

  1. Léo: parabéns pelo seu blog. Fui informado por diversos pacientes e amigos, passei para conferir e adorei. Criativo e conciso da maneira que o público alvo necessita. Um abraço, Facundo

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here