Sinais elétricos e lesões na medula espinhal: nova pesquisa

0
164

Pesquisador da Whichita State University utiliza nova abordagem sobre lesões na medula espinhal. A pesquisa utiliza sinais elétricos para reparar danos nos tecidos.

Sabe-se que lesões na medula espinham podem causar a morte das células que a circundam. Mas, há boas novidades: um dos mecanismos de defesa do organismo, neste caso, é a regeneração e migração de um tipo de célula de apoio, chamada de células de Schwann, a famosa bainha de mielina.

sinais elétricos medula
Li Yao, pesquisador responsável pelo estudo.

Mas, e aí? O que exatamente essa célula faz?

Ela atua diretamente na mielinização, isto é, no revestimento dos nervos no local da lesão. Assim, ocorre que há a recuperação de algumas funções da medula espinhal. Li Yao, pesquisador responsável pelo estudo, acredita que os sinais elétricos poderiam apontar essas células para o local da lesão. A descoberta seria uma porta aberta para a área médica incluir este tipo de tratamento nas lesões neuronais.

A pesquisa de Yao estuda o mecanismo molecular de migração das células em campos elétricos, a partir de uma sequência de RNA, responsável por sinalizar sinalizar os caminhos para as células de migração. O pesquisador descobriu que a migração celular para a região da lesão aumentou de forma significativa com a atuação do campo elétrico.

Apesar de recente, a descoberta de Yao pode ter grandes contribuições para a medicina. “Nosso trabalho tem implicações para a reparação do sistema nervoso central, e a aplicação de um campo elétrico pode ajudar”, finaliza o pesquisador.

VIAScience Daily
COMPARTILHAR
Daniela Malagoli

Graduada em Comunicação Social (habilitação em Jornalismo) pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Mestranda do Programa da Pós-Graduação em Tecnologias, Comunicação e Educação (Faculdade de Educação) da UFU. Apresentadora de telejornal, consultora de comunicação e colunista do Blog MeuCérebro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here